• Laís Vargas

Porque acho um absurdo uma Copa do Mundo na Rússia


Quem me conhece sabe o quão desacreditada sou com o futebol. Mais especificamente com a FIFA. Não sei quando esse sentimento começou, mas há alguns anos eu venho criticando o modelo, o sistema e o esporte em si.


Todo mundo já ouviu algum tipo de história de corrupção no futebol, a maioria delas tem a FIFA como protagonista: o que aconteceu com o Ronaldo Fenômeno na final de 98? Por que o Brasil sediou a Copa de 2014? Por que o juiz não usou o VAR no jogo contra a Suíça? Enfim, essa é apenas a ponta do iceberg.


Antes de falar qualquer coisa, quero contar a minha relação com o futebol.

Sempre gostei de esportes. Gostei não, amei! Amo! Eu praticava alguns no colégio, inclusive futsal, mesmo minha grande paixão sendo o basquete. Durante a faculdade, fui inúmeras vezes ao Maracanã torcer para o Flamengo, no meio da torcida mesmo, fui até em jogos decisivos. A partir de 2010, mais ou menos, parei de curtir. Não ia mais a estádios, não assistia os jogos pela TV.


Minha relação com o futebol ficou restrita às Copas do Mundo.


Em 2015 e 2016 fiz uma pós graduação em Marketing Esportivo. Foi lá que ouvi mais um monte de histórias e teorias da conspiração sobre futebol, principalmente Copa do Mundo e FIFA.


Foi durante o curso que ouvi falar de um livro chamado "Jogo Sujo - O mundo secreto da FIFA: compra de votos e escândalo de ingressos", escrito por Andrew Jennings, um repórter investigativo nascido na Escócia e criado na Inglaterra, neto de ex-jogador de futebol.


Na capa do livro, o primeiro choque: "O livro que a FIFA tentou proibir". Eu nunca imaginaria o que estariam naquelas páginas, de verdade.


Comprei o livro digital e comecei a ler em meu Kindle Oasis. Logo no início, Jennings relata polêmicas envolvendo a CBF, a Adidas e outras marcas do mercado esportivo. Jogo sujo mesmo!


Nota: A CBF exerce uma influência na FIFA muito mais forte do que a gente imagina!


Com detalhes, o autor conta histórias inimagináveis. Desde o pagamento de propina para uma cidade ser escolhida como sede da Copa do Mundo, até marcas que financiam a candidatura de profissionais para assumir cargos altíssimos na FIFA.


Você deve estar se perguntando o que mais Jennings relata em seu livro, lançado em 2011. Então, eu não consegui ler até o final. Em determinado momento eu me peguei com o seguinte pensamento: se eu continuar, nunca mais vou acreditar em um jogo de Copa do Mundo (e eu não quero isso).


Desde então, refleti muito sobre o futebol e todo o dinheiro que o esporte movimenta. Percebi que o que me irrita, de fato, é a FIFA. Como uma marca desse tamanho e com tanto poder escolhe a Rússia como país-sede de uma Copa do Mundo?


Segundo o Estadão, mais de 3,2 bilhões assistiram à Copa no Brasil, um recorde de audiência! Provavelmente a Copa na Rússia vai superar (ou chegar perto) desses números. Como uma competição de nível mundial é realizada em um país preconceituoso, homofóbico, misógino e com um monte de leis absurdas?


Ah, você não está sabendo disso? Ou acha que só é proibido ser gay na Rússia? Vou te contar que o buraco é muito mais embaixo...


Violência doméstica não é crime

Em 2017, o presidente do país assinou uma lei que descriminaliza determinados atos de violência doméstica. Só é considerado crime se os ferimentos são graves ou se as agressões são recorrentes.


De acordo com a ONU, aproximadamente 14 mil mulheres foram mortas em 2010 por maridos e familiares - e esses números se repetem todos os anos (até hoje!). Mesmo com esses dados oficiais, uma lei como essa é aprovada por Vladimir Putin.


As mulheres mantém seus casamentos porque a grande maioria dos russos, após o divórcio, larga a mulher e os filhos sem pensão e sem moradia. Para que as crianças tenham oportunidades, as mulheres aguentam caladas.


Leis que promovem a homofobia

Há uma série de leis "anti-gay" na Rússia, entre elas está uma em que é proibida que qualquer informação sobre homosexualidade seja dada às crianças. Existem relatos de homossexuais que foram multados, agredidos e presos por manifestar sua orientação sexual.


Esses manifestos são de diferentes formas: andar de mãos dadas na rua, carregar uma bandeira do arco-íris, expor cartazes em locais públicos, entre tantas outras formas de lutar por direitos igualitários. Até 1993 era crime ser gay no país. Desde então, correntes de ódio perseguem e matam homossexuais russos.


Somos tranquilos, mas tenha cautela

Hulk, ex-atacante brasileiro da Seleção, jogou durante alguns anos em um time de Saint Petersburg. Segundo relatos, ele ouvia músicas e xingamentos em todas as ocasiões, foi assim até ele ser transferido para o futebol chinês.


O Ministério das Relações Exteriores emitiu uma recomendação aos brasileiros que viajassem com cautela para a Copa de 2018. Isso porque o MRE alertou, explorando o assunto xenofobia e discriminação, que os ataques contra as minorias são uma realidade na Rússia e que, mesmo sem agressão física, há muitas gangues que se organizam para "barrar" os estrangeiros negros, mulatos etc.


O exemplo que a FIFA não dá

Como uma entidade desse porte permite que uma competição de nível mundial seja realizada em um país machista, homofóbico e misógino? Que tipo de exemplo está sendo dado ao mundo?


Particularmente acho um absurdo a Copa do Mundo ser realizada em um país tão atrasado como a Rússia (e o mesmo erro será cometido em 2022, no Qatar). Tudo isso por dinheiro? É tudo "politicagem"?


Pode ter certeza que tem uma galera ganhando uma grana realizando a Copa na Rússia - assim como os muitos que ganharam realizando a Copa de 2014 no Brasil -, mas é uma sociedade inteira dando passos para trás quando vemos atos antiquados passando em nossa televisão.


Logo o futebol, um esporte extremamente preconceituoso em diversos aspectos. Quantos jogadores são assumidamente gays? Quantos jogos de futebol feminino você assiste por ano? Quem comentou que a Marta ultrapassou o Pelé e é a maior artilheira da Seleção Brasileira?

Fico feliz com os passos que o Brasil dá a cada dia. Ainda temos MUITO a evoluir, mas ver um evento desse porte sediado em um país ultrapassado, só faz com que eu desacredite cada vez mais no futebol - e acredite mais nas teorias da conspiração.


Nota importantíssima: Esse texto é pessoal e expressa somente a minha opinião sobre o tema. Se você discorda, vou adorar ler seus pontos de vista nos comentários abaixo :)

Leia esse e outros textos no meu LinkedIn.