• Laís Vargas

Palestrante motivacional é o novo "empreendedor de palco"?


Fonte: Wikimedia Commons

Qual foi o último evento que você estava ansioso pra ir e, chegando lá, a palestra era um conjunto de frases prontas do Google?


Qual foi o último curso que você fez e, ao final, estava com a sensação de que não aprendeu quase nada?


Há algumas semanas fiz um post no Linkedin falando sobre palestras, principalmente aquelas que são motivacionais ao extremo.


Já quero deixar claro que eu não tenho nada contra palestrantes, inclusive sou paga para dar palestras em eventos e em grandes empresas. Adoro fazer isso! Transmitir conhecimento, estar em contato com o público "olho no olho" e entregar um conteúdo de alto valor.


Não só eu, mas tenho vários amigos que são profissionais sérios e que também dão palestras com um conteúdo profundo e muito agregador.


O que eu quero falar nesse texto é sobre a onda das palestras super-motivacionais que está dominando o mercado, principalmente quando falamos em empreendedorismo, coaching e marketing.


Qual foi o dia em que ficou decidido que toda palestra precisa ser motivacional?


Como profissional de apresentações, sei que precisamos criar um roteiro emocional para criar uma conexão forte com a audiência. No MINIMIZA, minha empresa de apresentações, me preocupo em equilibrar o racional e o emocional, para que não fique apelativo demais e com pouca emoção.


A linha é tênue entre o motivacional que agrega e o motivacional que está ali no palco apenas repetindo uma série de frases que leu em best-sellers que têm a palavra "foda" no título.

Eu não sei você, mas eventos em que tenho que pular, bater palmas, gritar feito uma louca… na boa, não é meu tipo de evento. Eu entendo um pouquinho a psicologia por trás disso tudo, mas é uma linha da psicologia que não acredito - até porque minha mãe é psicanalista, então já sabe o que ela acha sobre processo de coaching, né?


Mas voltando ao assunto, deixa eu te contar um segredo...


Ir nesses eventos e tirar foto com quem posta meia dúzia de frases vazias que você acha que foram feitas pro seu momento de vida, não faz de você uma pessoa mais ou menos empreendedora e realizadora.


Será que os palestrantes motivacionais são os novos empreendedores de palco?


Você lembra do caso da Bel Pesce, por exemplo? Não só o dela, mas de tantos outros que foram "desmascarados" por mentirem em seus currículos e em seus históricos profissionais em troca de milhões de livros vendidos e milhares de reais em palestras pelo Brasil inteiro.


Toda palestra precisa entregar algo novo à plateia.


As palestras precisam ter elementos em que as pessoas saiam dali lembrando de você, mas mais do que isso, lembrando do que você agregou para a vida ou para o negócio delas.


O palestrante é a peça fundamental para uma boa palestra e eu não consigo entender como alguém tem coragem de subir em um palco, falar durante uma hora e só dizer coisas manjadas da internet.


Estou falando isso porque já vi isso acontecer, tenho propriedade no assunto.


Já paguei por um evento de 3 dias e só fui ao primeiro dia, acredita? Isso é real, aconteceu em janeiro de 2019. Paguei caro, mas percebi que perder mais dois dias com um conteúdo raso e apenas motivacional não seria a melhor forma de evoluir e aprender.


Na minha opinião, como uma profissional que, além de dar palestras também cria apresentações e roteiros para palestrantes, acredito que existam três requisitos fundamentais para que a sua palestra seja um sucesso.


1. Transmita uma mensagem forte


O roteiro de uma boa palestra tem uma frase clara e objetiva, aquela que ficará martelando na cabeça de quem está assistindo.


Se a plateia tiver que lembrar de apenas uma coisa que você disse durante todo seu discurso, que frase seria essa? Isso é o que chamo de "mensagem central". Definir essa frase é meu primeiro passo na construção do roteiro de qualquer apresentação (inclusive de palestras).


2. Seja um apresentador confiante


O palestrante precisa ser confiante para mostrar que realmente sabe do que está falando! Ele deve ser carismático, ter didática, respeitar o tempo e mostrar que se importa com aquelas pessoas.


A maioria dos "palestras motivacionais de carteirinha" são excelentes comunicadores, porém usam de gatilhos mentais e estratégias psicológicas para atingir o seu emocional e fazer com que você fique em êxtase naquele momento.


Cuidado para não cair nesse tipo de armadilha! O bom apresentador mesmo é aquele cara que é ele mesmo, no palco e fora dele.

3. Ensine algo novo que as pessoas consigam colocar em prática


Eu sou a louca da anotação! Faço listas e anoto absolutamente tudo, então quando vou assistir uma palestra, levo meu caderninho e espero fazer várias anotações e ter muitos insights.


Se eu não anotar praticamente nada até a metade da palestra, já sei que aquele conteúdo não é pra mim e não prendeu a minha atenção. O palestrante não cumpriu um ou mais dos três requisitos...


Me preocupo muito na forma como entrego conteúdo de valor à minha audiência, inclusive com produtos gratuitos (tem uma sessão deles no site do MINIMIZA que você pode acessar clicando aqui).


Eu preciso sair da palestra querendo compartilhar alguma informação com o mundo!


Palestras que não cumprem os três pontos citados são apenas discursos motivacionais para fazer com que você compre um produto ainda mais caro do palestrante. E só.


Estamos na era dos eventos e do networking, online e offline. Nosso tempo está cada vez mais escasso e, consequentemente, mais valioso. Pense bem onde você vai começar a investir tempo e dinheiro em troca de conhecimento.


A maioria dos gurus falam muito e entregam pouco…

Leia esse e outros textos no meu LinkedIn.


Assine a Newsletter Sem Firulas para receber todas as novidades do MINIMIZA.