• Laís Vargas

Os maiores mitos de uma apresentação e porque você deve fugir deles

Updated: Jun 26, 2018


Trabalhei por 4 anos na área de Trade Marketing em empresas multinacionais do segmento de bens de consumo. Nesse período ouvi muitos mitos sobre apresentações corporativas. MUITO. MESMO.


Em um primeiro momento, achei que alguns mitos eram bullshit, já outros eu tinha certeza que sim. Anos mais tarde, um pouco mais experiente e sabendo filtrar melhor o que acredito, vejo que ainda há muito o que "desmistificar" desse universo.


A cada nova palestra que dou - Apresentações de Alto Impacto -, uma das dúvidas ao final sempre é referente a algum mito, mas só fui reparar isso na última apresentação que fiz, para colaboradores do banco J.P. Morgan.


A partir das dúvidas que sempre surgem e da minha experiência no mercado corporativo, resolvi falar sobre os 3 maiores mitos de uma apresentação.


MITO #1: Uma apresentação não deve ter mais de 15 slides.


Eu não entendo porque um chefe vira para sua equipe e fala:

Esse é o conteúdo para a reunião com a diretoria essa semana. Só temos 40 minutos para apresentar. Faça uma apresentação até 15 slides, por favor.

Vou contar um segredo para vocês: slide é de graça! Você não precisa economizar na quantidade de slides para criar uma apresentação.


Isso significa que você não deve entupir sua tela widescreen com todos os gráficos e tabelas que seu chefe pediu. Inserir um gráfico ou uma tabela por slide, com seus respectivos highlights, funciona muito bem.


Não há relação entre quantidade de slides e tempo da apresentação.


Se você precisa apresentar 4 gráficos para a diretoria, vai demorar mais tempo se apresentar os 4 no mesmo slide ou os 4 gráficos em 4 slides diferentes?


Exatamente, não faz a menor diferença! A única diferença é que você terá slides mais cleans e com uma mensagem mais clara se apresentar os gráficos em slides diferentes. E isso é ótimo :)


O que determina quanto tempo vai durar sua apresentação é o conteúdo.


Falando em formato, crie slides em formato 16:9 e não 4:3. Aquele formato tradicional, mais quadrado, é coisa do passado! Se você cria sua apresentação assim, você deixa duas faixas pretas nas laterais, já que TVs e computadores possuem telas em formato widescreen há um bom tempo...


MITO #2: Quem não é designer não cria slides bonitos.


O que mais me encanta nas apresentações que vejo são slides diretos ao ponto, sem muita firula, com uma mensagem clara e objetiva. Muitos acreditam que slide bonito é sinônimo de Photoshop e efeito mirabolante, mas eu discordo totalmente.


Slide tem a ver com bom gosto e, principalmente, referências!


Eu me inspiro muito nas conferências da Apple e no Google I/O, conferência anual do Google que mostra os lançamentos da empresa ao mundo. Em ambos os eventos - transmitidos globalmente - nota-se uma semelhante: os slides.


As apresentações são impactantes, com um discurso persuasivo e que deixa todos nós com vontade de comprar tudo que está surgindo no mundo da tecnologia. Mas os slides em si são simples, com poucas palavras, muitas imagens, apenas uma informação por slide e isso é maravilhoso.


Qualquer pessoa consegue fazer um slide bonito!


O que falta é um bom planejamento e um excelente roteiro. Esses sim vão guiar sua apresentação e torná-la um verdadeiro sucesso.


Quem fala que é preciso ser designer para criar um slide legal está usando isso como desculpa.


Se você é antenado, busca referências e tem um objetivo claro, você consegue criar uma apresentação bonita e impactante. Tenha claro na sua cabeça que é preciso treinar constantemente e se atualizar sempre, mas nada que vídeos no YouTube e livros não te ajude nessa missão.


MITO #3: Um slide é seu texto do Word resumido em tópicos.


Muito provavelmente eu não te conheço (é, estou me referindo a você que está lendo esse texto agora). Mesmo sem te conhecer, eu tenho certeza que o que mais te incomoda em apresentações são os slides lotados de textos.


Independente da área, empresa ou cargo, esse (ainda) é um grande problema no mundo das apresentações.


Os profissionais - também serve para estudantes - acham que construir um PowerPoint é simplesmente transformar o texto que você fez no Word em tópicos. Simples assim. Releia seu texto, destaque os pontos mais importantes e resuma em tópicos.


Mas essa é a maior idiotice do universo!!!


Já peço desculpas pela minha revolta, mas é inadmissível que em pleno 2018 as pessoas ainda cometam esse erro. Uma apresentação é sobre contar uma história, com início-meio-fim, independente da área que você atua.


Mesmo que seja um trabalho acadêmico, da graduação mesmo, você precisa pensar na introdução, no clímax, no problema e apresentar uma solução, para só depois disso, encerrar. Mas o que acontece na prática é que todo mundo está sempre com pressa e deixa tudo para a última hora.


Qual é o resultado? Um trabalho medíocre, sem raciocínio e quase mecânico.


Você não deve transformar seu texto em bullet points. Pense no roteiro, na estrutura e, principalmente, como vai começar e terminar sua apresentação. O primeiro e o último slides são fundamentais, então invista um bom tempo pensando neles.


Se você já passou por alguma dessas situações, me conta sua história aqui nos comentários, vou adorar saber :)

Leia esse e outros artigos no meu LinkedIn.