• Laís Vargas

Os 10 piores erros de uma apresentação corporativa


Todo mundo que eu conheço já precisou fazer uma apresentação. Independente da profissão, do cargo, do segmento e até da escolaridade, tenho certeza que você que está lendo esse texto agora já se desesperou ao precisar criar alguns slides.


Confesso que sempre gostei de apresentar trabalhos, desde a época da escola. Até peguei um pouquinho a fase das transparências, mas sempre fui fascinada pelo PowerPoint e no mundo de possibilidades que os slides sempre tiveram.


Como a maioria, comecei arriscando pouco, usando os templates pré-definidos do PPT e me limitando àquela estrutura básica de título e bullet points (marcadores):



Até que entrei na faculdade e acho que ali foi o grande ponto de virada.


A ESPM é conhecida por ser a melhor escola de marketing do Brasil e uma das melhores do mundo. Graças aos meus pais, tive a oportunidade de fazer a graduação lá, a faculdade que sempre sonhei.


Durante meus 4 anos estudando Administração & Marketing, tive que apresentar MUITOS trabalhos - mas muitos mesmo, sem exagero!


Sabendo que o mercado de trabalho exige que profissionais saibam se apresentar, se vender e se comunicar bem, a ESPM exigia que a maioria das disciplinas tivesse trabalhos a serem apresentados.


A faculdade foi o lugar onde mais desenvolvi minhas habilidades no PowerPoint e consegui sair totalmente do tradicional, já que os professores incentivavam as práticas mais inovadoras e "fora da caixa".


Sem dúvida nenhuma a apresentação mais tensa da minha vida aconteceu no auditório da ESPM, quando eu estava no sexto período. Apresentei, com mais dois alunos, um projeto para a L'Oréal, para uma agência de publicidade (não lembro qual era, mas era uma grande e internacional) e para alguns professores.


Além de ter mais de 100 pessoas assistindo, era uma apresentação toda em inglês. Foi uma experiência única e que me fez crescer demais como pessoa e profissional. Depois de encarar esse desafio, sabia que nenhuma apresentação seria mais difícil que aquela.

De lá pra cá fui aperfeiçoando as técnicas e me encantando cada vez mais com o poder que uma boa apresentação tem! Trabalhei em duas multinacionais, montei uma área completa em uma agência de pequeno porte - que saiu do zero até um faturamento de alguns milhões em apenas 4 anos - até que resolvi abrir minha própria empresa de apresentações.


Se você me acompanha no LinkedIn sabe que o MINIMIZA | Apresentações sem firulas é meu principal negócio hoje e que tenho meu irmão caçula como sócio, o Breno. Mas nesse texto eu não vou falar da minha história empreendedora.


Fiz essa introdução sobre a minha relação com o PowerPoint para compartilhar com você os 10 erros que todo mundo comete ao criar uma apresentação. Acredite, eu já cometi esses erros mais de uma vez (alguns por muitos anos).


E eu sei, mais do que ninguém, que uma boa apresentação faz toda a diferença!


Então veja quais são esses erros e porquê você deve parar de cometê-los hoje mesmo, seja na empresa que trabalha ou na sua própria empresa.


Erro #1

Não planejar e ir direto pro layout


Com os prazos cada vez mais apertados, é normal bater a ansiedade e abrirmos logo o PowerPoint. O problema disso é que você acaba não planejando e sai criando os slides com o template-padrão, já que não tem muito tempo.


Esquece o template-padrão e começa do zero, com um slide em branco. Template é coisa de gente preguiçosa e que se contenta com o mínimo aceitável.


Erro #2

Abrir o PowerPoint sem escrever o roteiro


Se você não planeja sua apresentação, provavelmente também não escreve seu roteiro. Talvez esse seja o principal erro, aquele que faz com que a grande maioria das apresentações simplesmente fracasse.


Antes de abrir o PPT, abra o Word ou pegue papel e caneta. Escreva o roteiro como se estivesse escrevendo o roteiro de um filme. Pense na história, no clímax, na mensagem central e no desfecho.


[Use o e-note para te ajudar com o planejamento e roteiro da sua próxima apresentação. Faça o download clicando aqui, é gratuito]

Erro #3

Perder tempo escolhendo fontes


Seja no LinkedIn, no Instagram ou nos treinamentos que fazemos nas empresas, sempre surge a dúvida sobre a escolha das fontes. A verdade é que eu não perco muito tempo escolhendo fonte e você deveria fazer o mesmo.


Utilize as fontes institucionais da marca. Caso você seja livre para escolher quais usar, opte por fontes de acordo com o estilo do tema da apresentação. Por exemplo: não dá pra escolher uma fonte infantil - tipo a fonte clássica da Disney - para uma apresentação sobre tecnologia, né?


Para te ajudar, vou listar aqui minhas fontes preferidas:

  • Montserrat

  • Helvetica

  • Gotham

  • Bebas Neue

  • Century Gothic


Erro #4

Ignorar o Manual da Marca


Se você está criando um PPT Corporativo, não tem pra onde correr: você precisa criar seus slides de acordo com o manual da marca em questão. Mas "brand book" não quer dizer template-padrão, ok?


O Manual de Marca é um documento que as empresas possuem com um direcionamento de como tratar a marca corporativa. Nesse documento você encontra o logo completo, o logo reduzido, o que não fazer com o logo, a fonte primária, a fonte secundária, as cores primárias e as cores secundárias.


Sendo assim, utilize cores, fontes e elementos de acordo com o brand book. Se você trabalha em uma empresa, peça uma cópia ao time de marketing, comunicação ou branding.


Erro #5

Inserir animações exageradas


Quem nunca se empolgou e escolheu animações para que a foto e o texto entrassem girando com piruetas no slide? Animações como "girar", "revolução", "elástico", "descartar" e "boomerang" são cafonas e soam infantis.


Quando vejo esse tipo de animação fico com a sensação de que uma criança de 10 anos preparou o PowerPoint. Evite animações exageradas, elas não acrescentam no layout. Use animações simples para te ajudar a contar a história aos poucos.


As únicas animações que uso são:

  • Aparecer

  • Surgir

  • Esmaecer

  • Flutuar


Erro #6

Não personalizar gráficos e tabelas


Ao apresentar resultados com gráficos e tabelas, o software principal se torna o Excel. O que todo mundo faz é copiar do Excel e colar no PowerPoint, certo? Não há nada de errado nisso, o problema é que as pessoas esquecem de adaptar o layout dos gráficos e das tabelas de acordo com a identidade visual da apresentação.


Ao colar direto do Excel, a formatação é padrão (com aquele azul sem graça do PPT). Você deve se lembrar de adaptar o layout dos gráficos e das tabelas ao estilo da apresentação, isso significa mudar a fonte e as cores, principalmente.


Se você não o fizer vai ficar parecendo um "recorte e cola" mal acabado.


Erro #7

Escolher imagens com marca d'água


Não há nada que seja mais amador que usar uma imagem com marca d'água. Essas imagens são protegidas por direitos autorais e, para utilizar, você precisa pagar. O bizarro é que tem uma galera que simplesmente ignora e coloca uma foto com marca d'água no slide.


Você acredita que eu já vi palestra com imagens desse tipo? As mais famosas são de um banco de imagens chamado shutterstock. Use imagens com direitos autorais liberados!


Meus bancos de imagens preferidos são:

  • Pexels

  • Pixabay

  • Unsplash


Erro #8

Criar um slide de "dúvidas"


Tem coisas que fazemos sem sabermos ao certo porquê. Acredito que o slide escrito "dúvidas?" em letras garrafais seja uma dessas coisas, já que não faz o menor sentido pra mim.


Sempre começo minha apresentação explicando à audiência como funcionará a dinâmica. Nesse momento falo se as dúvidas poderão ser feitas ao longo da apresentação ou apenas no final, isso já faz com que a galera saiba como agir.


Se você libera as perguntas durante - que é algo que eu faço - você não precisa do slide de "dúvidas", né? E se você deixa pro final, sugiro que finalize sua apresentação, agradeça a participação de todos, deixe seus contatos na tela e abra a sessão de dúvidas.

Pronto! Um slide a menos na sua apresentação… deixa pra trás, de uma vez por todas, esse bonequinho branco sem rosto.


Erro #9

Encerrar com um slide escrito "obrigado"


Assim como o slide de "dúvidas", por que escrever um OBRIGADO gigaaaaante se você já vai agradecer sua audiência?


Eu sou a favor de colocar o mínimo possível de palavras na tela, isso faz com que a apresentação fique mais dinâmica e você acaba impressionando mais, já que o discurso está na ponta da língua.


Ao encerrar sua apresentação, deixe seus contatos disponíveis e agradeça a presença e a atenção de todos os participantes. O " obrigado" na tela não fará a menor diferença…


Erro #10

Não ensaiar e se garantir no "quem sabe faz ao vivo"


Eu já fui essa pessoa. Confesso que eu batia no peito e falava estufando a voz:


"Deixa comigo! Quem sabe faz ao vivo..."

A verdade é que nem sempre as coisas saem como planejamos. Fazer uma apresentação é tipo produzir um evento, ou seja, sempre dá alguma merd@. O projetor dá problema, o cabo está com mal contato, não tem adaptador pro seu notebook, o vídeo não funciona…


Enfim, os problemas são inúmeros! E se você não ensaiou e treinou sua apresentação, a chance de travar na hora H aumenta. Ensaie uma, duas, três vezes se possível.


[Para garantir que sua apresentação seja um sucesso, preparei um checklist para te ajudar nessa missão. Faça o download clicando aqui, é gratuito]


Antes de ser sócia-fundadora de uma empresa de apresentações, assumo que já cometi todas as falhas inúmeras vezes. O PowerPoint é do jeito que o conhecemos hoje há mais de 20 anos.


Se ele não muda, nós é quem precisamos mudar.


De nada adianta continuar fazendo os mesmos slides chatos e sem graça de sempre se você quer se destacar?


Seja ousado. Crie slides diferentes - mas prometa que vai criar sem firulas, ok?

Leia esse e outros textos no meu LinkedIn.


Assine a Newsletter Sem Firulas do MINIMIZA.