• Laís Vargas

5 maneiras de destruir sua apresentação


Desde que comecei a investir boa parte do meu dia no LinkedIn, muita coisa mudou. Mensagens começaram a chegar, pedidos de orçamentos, novos clientes e dúvidas de leitores sobre apresentações.


Uma vez por semana, um dos meus artigos aborda esse tema que eu amo! Acredito que as pessoas precisam de slides mais simples, porém eficientes e que as ajude a transmitir a mensagem de uma maneira clara. A maioria dos profissionais acaba focando nos pontos errados: efeitos mirabolantes, muitas cores, imagens saltando da tela.


Eu não acredito nisso.


Faço parte da galera que acredita no "menos é mais" e que precisamos falar mais com menos. Não é a toa que o nome da minha empresa se chama MINIMIZA, onde criamos apresentações sem firulas. Acreditamos realmente nisso!


Após alguns artigos oferecendo dicas sobre como criar apresentações de alto impacto, resolvi falar sobre 5 erros que você talvez já tenha cometido alguma vez na vida e que mataram a sua apresentação.


Tem gente que fala que nós só aprendemos com os nossos erros, não é? Então espero que esse artigo sirva de inspiração para que essas pessoas não cometam os erros novamente.


1 - Use o slide mestre

O slide mestre é um recurso criado no PowerPoint e que foi expandido para os outros softwares. Para "facilitar" a sua vida, esses softwares trazem slides prontos, com templates padrão. Dessa forma, é só você escolher um deles e pronto!


Isso significa que você não perde tanto tempo pensando no layout e em como deixar sua apresentação mais atrativa, até porque os slides são todos iguais (apenas com a capa diferente).


Agora você se lembra do slide mestre, certo?


Lembrou das inúmeras vezes que o utilizou para apresentar aquele trabalho da faculdade que ficou pra última hora? O que mata a sua apresentação é justamente a preguiça de criar slide por slide.


Quando você usa esse recurso, todos seus slides ficam com a mesma "base", ou seja, slides totalmente iguais, apenas com o texto diferente. Eu costumo dizer que o slide mestre acaba com a sua criatividade.

A melhor forma de começar é com um slide em branco.

Escritores começam a escrever um livro a partir de uma página em branco. Ilustradores criam um desenho com uma folha em branco. Grafiteiros iniciam suas artes em paredes em branco.


Por que você precisa de uma base para criar seus slides?


2 - Insira bullet points

Quando falo que o planejamento é mais importante que a criação dos slides, a maioria acredita que o planejamento consiste em quatro etapas: escrever o discurso (no Word, por exemplo), destacar as partes mais importantes, transformar essas partes em tópicos e transcrever os tópicos para os slides.


Esses tópicos são os famosos bullet points, aqueles marcadores padrão que tem em qualquer editor de texto.


- Mas Laís, o que tem de errado nisso?


Cada tópico tem um assunto diferente, logo, cada um precisa de uma imagem para criar a associação na cabeça de quem está vendo sua apresentação.


Cada slide precisa de uma única informação, é como se fosse um acontecimento da sua narrativa. Então inserir vários tópicos nesse pequeno espaço vai deixar seu slide com uma aparência poluída e até um pouco desleixado.

A regra 1:1 não deixa você cair nesse erro!

Essa regra consiste em colocar apenas uma mensagem principal por slide. Ou seja: 1 slide = 1 mensagem. Para quem ama os bullet points, essa regra dificulta um pouco a sua vida (e isso é ótimo, porque você vai sair da sua zona de conforto), mas garanto que vai fazer toda a diferença!


3 - Utilize as fontes padrão do Windows

Eu invisto um tempão procurando fontes que gosto e que combinam entre si. Esteticamente é algo que faz diferença, apesar de parecer um detalhe no meio de tantos outros.


Mas fato é que a fonte é um dos principais recursos para criar um layout campeão. O ideal é você escolher de 2 a 3 fontes para sua apresentação, variando entre títulos, textos e citações.


Como é parte importante do design, escolher as fontes pode ser algo demorado.


Mas como definir a fonte que você deve utilizar? Caso sua apresentação seja para a empresa que você trabalha, utilize as fontes institucionais; assim como se a apresentação for para um cliente, use as cores da marca do seu cliente.


A fonte faz parte do manual da marca, então é fundamental seguir essa orientação para criar uma identificação com os valores do logo e toda a identidade visual já existente.

Se for um projeto pessoal, invista um tempinho no dafont.com pesquisando e testando diversas fontes.

Vou deixar aqui uma listinha com as minhas fontes preferidas:

Usar as fontes padronizadas mostra que você pouco se preocupou em pesquisar e criar uma identidade própria.

Se você estiver na dúvida e precisar de usar uma fonte padrão, use Century Gothic (essa fonte nunca decepciona).


Para quem acha que em todo slide precisa ter o logo da sua empresa ou do seu cliente, pense que a fonte e as cores utilizadas fazem parte da identidade visual da marca.


4 - Crie seu slide no formato 4:3

Antigamente as TVs eram em um formato mais quadradão, lembra? Não só a TV (de tubo), mas a tela do seu computador (também de tubo), a mini tela do seu celular que ainda não era colorida, o telão do projetor da empresa e por aí vai...


Acontece que esse cenário já mudou há alguns anos. Todas as telas começaram a imitar a tradicional dela de cinema: o que conhecemos hoje como formato widescreen.


Essa imagem diz tudo! É assim que fica sua apresentação na tela de um notebook, com faixas pretas nas laterais.


O PowerPoint foi criado na época da tela quadrada, logo o slide padrão na ferramenta é no formato 4:3 (quadrado). Quando abrimos um PPT, precisamos alterar o formato para 16:9 (widescreen), pois todas as telas que usamos hoje são horizontais: celular, notebook, computador, TVs...


A versão mais recente do Windows transformou o padrão para 16:9, porém se você não tem o Windows 10, siga o passo-a-passo a seguir:

  1. No menu superior, clique em "design";

  2. Selecione "tamanho do slide";

  3. Escolha a opção "widescreen 16:9".

Viu como é simples? E se você for em algum lugar que não tiver uma tela widescreen, acho que você não deveria estar nesse lugar tão "inovador".


5 - Leia o texto que está no slide

Deixamos tudo pra última hora. Sempre. No meio de tanta coisa pra fazer, deixamos os slides por último. Já temos o conteúdo, né? Então é só jogar tudo nos slides e ter um jogo de cinto na hora.


O problema dessa etapa pré-apresentação é que tendemos a não treinar. Sabemos o conteúdo de cor e salteado, escrevemos o roteiro, depois fazemos leituras e mais leituras... não tem por quê rolar nenhum stress, né?


E o que a maioria das pessoas fazem nessa situação? Elas enchem os slides de textos - geralmente através dos bullet points - e, na hora de apresentar, simplesmente lêem o que está no slide.

Caro amigo, se você está lendo o que está aparecendo na tela para todo mundo, por que você está "apresentando"?

Se a sua estratégia é ler o que está no slide, lembre-se que, enquanto você lê, a pessoa estará lendo também. Mas se você quiser explicar, a pessoa continuará lendo o slide. O resultado disso é catastrófico: ela não te escuta, você fala para ninguém e a mensagem não é transmitida.


Depois de ler tudo isso, quantas vocês você já destruiu sua apresentação? Que tal começar a focar no que realmente importa?


Leia esse e outros textos no meu LinkedIn.